5 erros na hora de procurar emprego

Você está cansado de distribuir vários currículos por aí e ninguém te chama para fazer entrevistas? Ou você é até selecionado (a) para às entrevistas, mas nuca passa para à próxima fase ou pior: não é contratado (a)? Pois saiba que você deve estar cometendo alguns erros que acabam atrapalhando suas chances de conseguir aquela tão sonhada vaga de trabalho!

5 erros na hora de procurar emprego

Você está cansado de distribuir vários currículos por aí e ninguém te chama para fazer entrevistas? Ou você é até selecionado (a) para às entrevistas, mas nuca passa para à próxima fase ou pior: não é contratado (a)? Pois saiba que você deve estar cometendo alguns erros que acabam atrapalhando suas chances de conseguir aquela tão sonhada vaga de trabalho! Pensando nisso, listei para você os 5 erros mais comuns na hora de procurar emprego:

1) Currículo “genérico”: Ter um Currículo com um objetivo que sirva para todos os tipos de vagas de empregos parece ser uma ideia ótima, porém não é. Você precisa manter o foco, descrever em qual área pretende trabalhar, é o que Joyce Ajuz, coordenadora do Centro de Desenvolvimento de Pessoas da Escola Superior de Propaganda e Marketing do Rio de Janeiro (ESPM-RJ), disse em entrevista para o site ‘iG Carreiras’ (2011): “quanto mais claro e de fácil leitura, mais chance de a empresa chamar para uma entrevista [...]. As empresas recebem milhões de currículos, se for muito confuso pela aparência, elas não vão dar atenção”.

2) Abusar da Networking: Quando você está desempregado (a) é importante fazer uso de sua Networking, ou seja, sua rede de contatos (família, amigos e conhecidos). Porém, você não pode bombardeá-la! Pense da seguinte forma: o fato de enviar seu currículo para um (a) amigo (a), não significa que à empresa irá chama-lo para uma entrevista de emprego. Em uma entrevista para o site ‘Exame’ (2012), Fabiane Cardoso, coordenadora de qualidade da Adecco Brasil, informou que “ficar perguntando por que ainda não foi chamado pode até causar um afastamento”. Lembre-se de que o seu contato naquela empresa de interesse, na maioria das vezes, é também um (a) empregado (a) e este (a) pode não ter poder de decisão para contratá-lo (a).

3) Não conhecer à empresa: Este é um erro muito comum. A maioria dos candidatos que são chamados para entrevistas de empregos, não buscam informações sobre à empresa em que pretendem trabalhar. Você pode fazer uso da internet para pesquisar se seu perfil é compatível com o perfil da empresa.

4) Não causar boa impressão: Saiba que a roupa que você irá usar e a maneira como se comportará em uma entrevista de emprego, poderá abrir ou fechar portas. Se você está neste grupo de pessoas: cuidado! Segundo Pease (2011):

Pesquisas indicam que os primeiros 15 segundos de uma entrevista são vitais – ou seja, você realmente não terá uma segunda chance de causar uma boa primeira impressão. Até 90% da opinião dos outros a seu respeito será formada nos primeiros quatro minutos, e 60% a 80% do impacto que você causará será não verbal. Sua abordagem, seu aperto de mão e sua linguagem corporal geral serão os maiores responsáveis pelo resultado de sua entrevista. Se quiser ser um excelente entrevistado, não se esqueça de colocar a primeira impressão em primeiro lugar.
Anote esta palavra: adequação. Estar vestido de acordo com o perfil da empresa pretendida (formal ou informal), evitar uso de gírias, não mentir nas entrevistas e etc., são ótimos exemplos para causar uma boa impressão.

5) Ser inconveniente: Muitos (as) candidatos (as) acabam ultrapassando a linha que divide o bom senso. Em hipótese nenhuma, tente ser “intimo” de quem está fazendo à entrevista. Algumas pessoas chegam ao cúmulo de adicionar o (a) entrevistador (a) em redes sociais como facebook ou instagram, para tentar (de maneira equivocada) estreitar laços. Prefira redes mais profissionais, como o LinkedIn, por exemplo. Outro erro gravíssimo é ficar “cobrando” uma resposta do (a) entrevistador (a).

 

Desejo que estas dicas o (a) ajudem a conseguir uma excelente oportunidade de emprego.

 

REFERÊNCIAS:

CAXITO, Fabiano de Andrade. Recrutamento e Seleção de Pessoas. Curitiba: IESDE Brasil S.A, 2007.

PATI, Camila. 10 erros fatais na hora de conseguir emprego. Disponível em: < Clique aqui >. Acesso em: 02. JAN. 2018.

PEASE, Allan e Barbara. Linguagem corporal no trabalho. [Tradução de Andrea Holcberg]; Rio de Janeiro: Sextante, 2013.